Amazonas em destaque
Notícias do Estado do Amazonas, Interior do Amazonas

Carreta Vacina Amazonas estará em Novo Airão nesta quinta e sexta-feira (17 e 18/02)

Unidade móvel de vacinação será instalada na praça do Dinossauro

Dando continuidade às ações da Carreta Vacina Amazonas nos municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), definiu que a unidade móvel de vacinação estará em Novo Airão (a 115 quilômetros da capital), nesta quinta e sexta-feira (17 e 18/02).

A unidade móvel ficará instalada na praça municipal do Dinossauro, localizada na rua Ajuricaba. Durante dois dias de ação no município, a população de Novo Airão poderá atualizar o ciclo vacinal das 8h às 17h.

O secretário de Estado de Saúde, Anoar Samad, ressaltou que a carreta Vacina Amazonas, percorrendo a RMM, tem como objetivo ampliar o acesso da população à vacina.

“A população aprovou a Carreta Vacina Amazonas, que agora atende também a região metropolitana para que todos atualizem seu esquema vacinal. A ação foi um sucesso em Manacapuru, e não será diferente em Novo Airão e Iranduba”, destacou.

A SES-AM reforça à população do município que, nestes dois dias de intensificação, os outros postos de vacinação da prefeitura irão funcionar normalmente.

Outros locais – Novo Airão é o segundo município do interior do estado a receber a Carreta Vacina Amazonas. Em Manacapuru (distante 68 quilômetros de Manaus), a unidade móvel aplicou 735 doses da vacina na segunda e na terça-feira (14 e 15/02). A carreta estará em Iranduba (a 27 quilômetros da capital) nos dias 21 e 22. A unidade itinerante já percorreu diversos bairros em todas as zonas de Manaus.

Ação itinerante – A carreta é uma das estratégias do Governo do Amazonas para a intensificação da vacinação contra a Covid-19, com o objetivo de garantir que um número maior de pessoas possa ter acesso ao imunizante. A carreta disponibiliza a aplicação das 1ª, 2ª e 3ª doses, além da 4ª dose, para as pessoas com alto grau de imunossupressão, que receberam a dose de reforço há, pelo menos, quatro meses.

FOTO: Rodrigo Santos/SES-AM