Consolidação das Unidades de Conservação no Amazonas é discutida em Oficina de Planejamento das áreas protegidas estaduais

Com o objetivo de aprimorar a gestão e discutir a consolidação das Unidades de Conservação (UC) no Amazonas, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) iniciou nesta terça-feira (01/10) a Oficina de Planejamento das Unidades de Conservação do Amazonas para o biênio 2020 e 2021. A atividade segue até a sexta-feira (04/10) no auditório de um hotel na zona centro-sul de Manaus.

O encontro reúne gestores das Unidades de Conservação do Amazonas, representantes do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). A agenda é a continuidade da oficina de planejamento integrado para as UC estaduais realizada com gestores das áreas protegidas entre os dias 23 e 27 de setembro, também em Manaus.

Para o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, a reunião é um momento para aprimoramento das UC estaduais e de alinhamento das ações a serem realizadas pelo programa Arpa para os próximos dois anos. “A maior parte do programa Arpa se encontra em operação no Estado do Amazonas. Então, encontrar um caminho adequado com planejamento estratégico para termos eficiência no uso dos recursos e nos resultados ambientais, como diminuição do desmatamento e geração de renda, é importante. Estamos organizando o próximo Plano Operativo Anual para execução dessas atividades e trabalhando com os gestores para definir de maneira clara as estratégias para implementação efetiva da política ambiental do Estado”, disse.

Segundo o diretor do Departamento de Áreas Protegidas da Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Ricardo Castelli, o Governo Federal vem trabalhando em conjunto com os governo estadual para realizar um trabalho de gestão integrada na agenda ambiental.

“O programa Arpa é um modelo já consolidado no Amazonas, diria que é até um exemplo para outros países do mundo no que se refere à agenda de conservação. O Arpa já passou por vários governos e se manteve pelo seu grau de importância. O MMA entende que essa cooperação com o Estado, principalmente com a Sema, é importante para preservação do meio ambiente em especial nas áreas protegidas. Esse encontro é um momento para integrarmos os gestores das UC com os técnicos e conhecer como eles lidam com os desafios nessas regiões”, destacou Ricardo Castelli.

FOTO: RICARDO OLIVEIRA