Amazonas em destaque
Notícias do Estado do Amazonas, Interior do Amazonas

Maternidades do Governo do Estado apresentam avanços nos serviços prestados à população em 2021

Melhorias garantiram realização de mais de 25 mil partos neste ano nas sete maternidades da SES-AM

O atendimento nas sete maternidades da Secretaria de Estado da Saúde (SES-AM) encerra o ano de 2021 com o aumento na qualidade e na assistência prestada às gestantes e aos recém-nascidos em Manaus. As unidades receberam novos equipamentos, ampliaram o número de leitos e investiram na melhoria do atendimento humanizado.

Em 2021, as sete maternidades do estado, na capital, já realizaram 25.363 partos, sendo 14.282 partos naturais e 11.081 cesarianas. Em março, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) materna do Instituto da Mulher Dona Lindu (IMDL) foi reativada em meio à pandemia de Covid-19, com 10 leitos, após oito anos sem funcionar.

A Maternidade Balbina Mestrinho ganhou, neste ano, uma nova UTI Neonatal (UTIn) e uma enfermaria de acolhimento humanizado de pacientes em situações de perdas neonatais. As obras fazem parte da reestruturação, pelo Governo do Estado, da rede materno-infantil, prevista no projeto “Renasce Amazonas – Maternidades”, contemplada no Programa Saúde Amazonas.

A unidade, que é referência para gravidez de alto risco, recebeu obras de ampliação e revitalização, desde o segundo semestre de 2020, e investimentos que já somam mais de R$ 1,6 milhão.

Houve ampliação de leitos também na maternidade Ana Braga, que inaugurou 20 leitos clínicos e cinco leitos de UTI Materna. A unidade, referência no atendimento de grávidas e puérperas com Covid-19, passou ainda por reestruturação interna, com a abertura de mais seis leitos clínicos, dois leitos de PPP (Parto Normal), três leitos de recuperação pós-anestésica e uma sala cirúrgica.

Atendimento humanizado – Dentro da reestruturação da rede materno-infantil, foi realizada a inauguração do Centro de Parto Normal Intra-Hospitalar (CPNI) no Instituto da Mulher Dona Lindu (IMDL) em novembro deste ano. O CPNI é uma estrutura que permite um atendimento humanizado, englobando um protocolo multicultural, com quatro suítes, sendo uma delas temática, atendendo mulheres de culturas indígenas e quilombolas.

O atendimento no CPNI engloba o protocolo multicultural, para mulheres estrangeiras, indígenas, brasileiras e surdas. O acolhimento inclui o suporte de tradução em língua espanhola, inglesa, tikuna e Língua Brasileira de Sinais (Libras). Com a temática indígena, na suíte “Nascer do Sol” disponibiliza a tradução do “Juramento do Pai”, durante o Corte do Cordão Umbilical, para língua tikuna.

Além da experiência de parto na água, o CPNI possui outras modalidades, estimulando o parto vertical, ou seja, com a parturiente em pé, sentada ou ajoelhada. Na modalidade, a mulher estará ajudando o seu corpo no processo de nascimento, trabalhando a favor dele. A posição vertical faz ainda com que as contrações uterinas sejam mais eficientes.

A Maternidade Dona Nazira Daou inaugurou a Sala de Cuidados Humanizados, um espaço destinado para mulheres que sofreram perdas de bebês, com o propósito de minimizar impactos emocionais. O objetivo é deixar essas pacientes em local separado de gestantes em trabalho de parto e puérperas com seus filhos recém-nascidos. A unidade também reinaugurou o Albergue Dr. Belmar Costa, destinado para mães de bebês internados em UTIn.

Cirurgias – Visando a redução do tempo de espera por esses procedimentos que foram suspensos por conta da pandemia de Covid-19, a SES-AM, por meio do projeto Opera+ retomou a realização de cirurgias de laqueaduras e vasectomias na maternidade Nazira Daou. O serviço, executado pelo ambulatório de Planejamento Familiar, tem a meta de realizar 112 procedimentos por mês, sendo 40 vasectomias e 72 laqueaduras.

Na Maternidade Ana Braga, foi reaberto o serviço de Planejamento Familiar, que auxilia no controle da natalidade por meio da utilização de métodos contraceptivos como o dispositivo intrauterino (DIU).

Equipamentos – A Maternidade Alvorada recebeu equipamentos entregues pelo programa Saúde Amazonas, como a câmara para hemocomponentes da Agência Transfusional – Unidade Hemoterápica, que tem como função armazenar sangue e seus derivados; três monitores multiparâmetro; foco clínico; bisturi eletrônico; incubadora de transporte; mesa cirúrgica automatizada; foco clínico para exames; poltronas de acompanhantes; e um raio-X digital.

A sala de raio-X da maternidade Azilda Marreiro passou por reforma e recebeu moderno equipamento de raio-X para atender as necessidades da unidade. A renovação do parque tecnológico da UTI materna da maternidade Balbina Mestrinho incluiu a entrega de novos equipamentos e camas hospitalares para 10 leitos.

A Maternidade Dona Nazira Daou recebeu uma nova ambulância, que irá garantir maior suporte e eficiência no atendimento e transporte das pacientes e recém-nascidos da unidade.

FOTO: Arthur Castro/Secom; Diego Peres/Secom; e Rodrigo Santos/SES-AM