Wilson Lima destaca a importância dos japoneses no desenvolvimento social, cultural e econômico do Amazonas

’São 90 anos de contribuição com o Amazonas’, disse o governador sobre o aniversário da imigração japonesa na Amazônia

O governador Wilson Lima assistiu, na noite de segunda-feira (16/09), no Teatro Amazonas, a um espetáculo musical comemorativo aos 90 da imigração japonesa na Amazônia. Na chegada, Wilson Lima destacou a importante contribuição que os japoneses têm dado para Amazônia e ao Amazonas.

“Hoje é uma noite muito importante na qual o estado do Amazonas se junta aos representantes do Japão para comemorar todos esses avanços que já tivemos. Nesses dias, há uma série de atividades voltadas para as comemorações dos 90 anos da imigração japonesa porque há uma relação muito forte com o Amazonas, e o Japão tem contribuído muito para o desenvolvimento da nossa cultura, tanto social quanto econômico. Temos relações comerciais e alguns outros projetos que já trouxeram muitos bons resultados”, disse Wilson Lima.

O governador destacou que a ideia é fortalecer ainda mais as parcerias entre Amazonas e Japão nas mais diversas áreas como econômica, cultural e educacional. “A gente espera que essa nossa amizade, que esse trabalho de cooperação possa cada vez mais aumentar. O Estado do Amazonas está de braços abertos para que nós continuemos essa nossa parceria, essa nossa conversa e essa nossa Amizade”, disse o governador do Amazonas.

A cônsul-geral do Japão em Manaus, Hitomi Sekiguchi, disse que o Amazonas tem sido um grande parceiro e que os japoneses querem conhecer ainda mais a cultura amazonense. “Nós precisamos divulgar mais a cultura amazonense para os japoneses. Se o governador puder ir ao Japão, o intercâmbio se aprofundará cada vez mais”, afirmou Sekiguchi.

Escola bilíngue – Na tarde desta segunda-feita (16/09), a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) e a Fundação Japão assinaram um Termo de Cooperação Técnica Educacional, na Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Bilíngue Professor Djalma da Cunha Batista, localizada na zona sul de Manaus.

O documento reforça a parceria entre as duas instituições e visa dar continuidade às atividades pedagógicas desenvolvidas pela unidade de ensino, que é a primeira Escola Estadual de Tempo Integral Bilíngue Português-Japonês do Brasil.

Atualmente, ela atende a 920 alunos da 6ª à 9ª série do Ensino Fundamental e possui três matérias de japonês: Língua Japonesa, Matemática em Língua Japonesa e Ciências em Língua Japonesa. Ao todo, são 8h semanais de Língua Japonesa no EETI.

Equipamentos – Também nesta segunda-feira (16/09), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), recebeu materiais e equipamentos que vão ajudar na promoção da acessibilidade de pessoas com deficiência visual e auditiva.

Com o aporte de aproximadamente R$ 270 mil do governo japonês, requeridos pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), o Teatro Amazonas ganha uma cabine de Língua Brasileira de Sinais (Libras) definitiva e equipada com câmera filmadora, mesa de corte, amplificador e televisores, além de novos fones de ouvido utilizados nas audiodescrições de espetáculos.

Também foram repassados equipamentos adquiridos para uso da Biblioteca Braille, administrada pela SEC, como computadores, teclados profissionais, violões, impressoras braille, caixas acústicas, microfones e punção e reglete (instrumentos para escrita braille).

A média de atendimento nos eventos promovidos pela SEC e nas atividades da Biblioteca Braille é de 2.800 pessoas com deficiência por ano. A estimativa é de que, com a nova estrutura e equipamentos, esse número seja ampliado para aproximadamente 4.570, um aumento de 63%.

Concerto musical – O espetáculo do grupo On Ensemble, com participação especial da cantora Sumie Kaneko, lotou o Teatro Amazonas na noite de segunda-feira (16/09). O evento teve entrada gratuita.

O On Ensemble, que se apresentou pela primeira vez em Manaus, é um dos mais respeitados grupos de taiko (percussão japonesa) do mundo. Ele surgiu em 2002 e é reconhecido por incorporar ritmo de taiko com influências musicais, que vão do jazz e rock, até o canto harmônico da Ásia Central.

A cantora japonesa Sumie Kaneko fez uma participação especial no espetáculo. Ela também toca tradicionais instrumentos de cordas do Japão (koto e shamisen).

FOTOS: DIEGO PERES/SECOM